Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Marketing - Publicidade Com Crianças

“Deixai vir a mim os pequeninos porque deles é o reino dos céus”, Mateus 19:14.

Na vertente organizacional esta frase aplicava-se da seguinte forma: “Deixai usar as Nossas / Vossas criancinhas nas campanhas publicitárias pois elas são a chave de entrada na casa dos nossos clientes…

Quando vemos crianças a trabalhar em “países do terceiro mundo” pensamos logo em, escravatura infantil. Pois não se deve colocar crianças a trabalhar. Quando vemos fotos / videos de crianças com as suas carinhas todas sujas, com fome, num clima e ambiente de guerra, numa linha de produção de uma empresa, ficamos todos indignados, as fotos e os videos tornam-se Virais e todos “escarnecemos” a empresa e os países que fazem este tipo de atrocidades (eu sou um deles), mas… sim à sempre um mas…

Quando vemos um anúncio de uma criança “bonitinha e fofinha” a fazer as suas “malandrices” inocentes, achamos “fofo” achamos “piada” achamos engraçado. Não será este também um caso de trabalho infantil? Não deveria ser isto também alvo de sanções? Não deveria também este tipo de Trabalho / Publicidade ser censurado?

Ora vejamos o video acima. Este video foi censurado, e proibido através do código de publicidade mas o facto é que o mesmo foi “para o ar” mas em vez de aparecerem vozes a dizer ai e tal isto é escravatura infantil, ai e tal isto não se faz, olho o video e vejo os seguintes comentários:

“Este comercial é um dos melhores que já vi e sigo a publicidade desde há muito. Tão simples, como eficaz e excepcional. Aos criadores deste videoclip devem ser dados os parabéns! Muitíssimo bom!” Carneiro, Manuel (2015). Então Senhor Manuel, o uso ilegal de crianças não conta? Já não interessa? Esta publicidade é ilegal, mas é “eficaz e excepcional”…

Awseel, minecraft (2016), escreve: “brutal.. apesar da censura a Vodafone esta de parabéns”. A sério? Are you joking? Então o video é censurado, é ilegal, mas a empresa está de parabéns?

Guerreiro, Gustavo (2016): “Cristina Resende o vosso bebe é lindo , emociona-me cada vez que vejo a publicidade. Parabéns :P” Este comentário até identifica a mãe do bebé da publicidade em epígrafe. Os bebés de facto são lindos, são a melhor coisa do mundo, são inocentes, mas uma vez mais “É ILEGAL” usar!

Vou passando os olhos nas comentários e continuam os elogios, tirando um ou outro Ser mais atendo, e de facto é que este tipo de trabalho nos “países do primeiro mundo” é “Normal”, “Bonito”, “Fofinho” …and so on…

Basicamente a diferença aqui reside no facto da Criança não estar a fazer um “trabalho forçado” não tem a cara suja, não se vê “pele e osso” logo esquece-mos as ilegalidades e “deixamos passar…”

O Código da Publicidade basicamente não existe para algumas empresas que passam de forma impune ao desrespeitar este, e podemos citar aqui imensas empresas, principalmente de produtos de limpeza, que muito recorrem a este tipo de publicidade, por exemplo: Skip, Fairy…

Isto basicamente me faz lembrar a Máxima de Maquiavel - Os Fins justificam os meios. E que “grandes fins” este tipo de publicidade acarreta a quem os utiliza, que vê a sua marca a ser mais reconhecida e sendo parabenizada pelo tipo de publicidade utilizada, mesmo sendo de forma ilegal.

Já não chega a quantidade de publicidade direccionada para este público pequenino e inocente (deixemos esta temática para outro post), tipo macdonalds em muito usa e abusa deste tipo de publicidade incitando os mais novos a enveredar por uma vida de obesidade e de AVCs… Vale complementar tal preocupação com este “mercado de influência” envolvendo crianças incitando as próprias na sua inserção precoce numa rotina adulta de testes e busca de profissionalização para conseguir papeis nos anúncios.

Os Pais aplaudem pois “ganham mais uns dígitos nas suas contas bancarias bem como uns tremendos likes e comentários “fofinhos” em relação aos seus filhos.

Nós aqui num “país do primeiro mundo” inseridos num contexto de União Europeia, tanto falamos de ética, tanto gostamos de apontar o dedo aos “países do terceiro mundo” nesta e em muitas outras questões não passamos de uns cínicos, pois fazemos o mesmo que eles mas de uma forma mais “fofinha”.

Crianças a fazer campanhas publicitárias é proibido por lei, mas esta lei teima em ser aplicada, e cada vez mais vemos as “nossas criancinhas” a serem utilizadas pelos “Grandes Tubarões”, muito gostamos de tapar os nossos olhos.

Publicidade dirigida para crianças também deveriam ser proibidas por lei? Também deveriam ser regularizadas? Tentarei verificar isto no próximo post. Ainda mais nesta época onde ligamos o Canal Panda e somos completamente “atropelados” por publicidade direccionada aos mais novos.

Em suma, muito gostamos de apontar o dedo aos outros, mas quando nos apontam o dedo a nós, o que fazemos é “assobiar para o lado…” Pois não interessa ir ao cerne da questão. Não convém ir ao cerne da questão. Não queremos ir ao cerne da questão.

 

NS