Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Marketing - As Modas Passageiras e ou Parvas

Gosto da frase, “ no meu tempo é que era…” Pois o verbo está conjugado no passado, por isso era, já foi, já passou, é tempo de olhar em frente e olharmos para o futuro e não ficarmos presos ao passado.

Muitas vezes para se conseguir saber para onde se quer ir, ou ter um vislumbre do nosso futuro, as respostas encontram-se enterradas no nosso passado, mas com isto não significa viver enclausurado “no meu tempo é que era” pois no meu tempo eu não poderia estar a escrever aqui pois não tinha computador, não havia internet, … Nos anos 80 pelo menos tínhamos os Dinossauros da música ainda vivos, decadentes mas vivos … Mas avante que se já faz tarde.

Moda, uma coisa que eu adoro, NOT! Uma coisa que eu entendo, NOT! Basicamente uma coisa que eu não domino de todo, aliás estou para tentar perceber algo que domino, até hoje ainda não lá cheguei… Mas ainda vou a tempo, pois não sou famoso, não sou cantor nem actor, logo prevejo a minha morte umas décadas mais à frente.

Aqui está dado o mote para a primeira tendência da moda: O pessoal famoso este ano andar todo a morrer, ao menos no meu tempo eles suicidavam-se, era sempre mais aparatoso, Damm you Kurt Cobain.

O Marketing mudou o mundo, ou as pessoas mudaram, logo o mundo também mudou, mas esta Aldeia Global Consumidora com as redes sociais tornou o mundo um lugar diminuto e as tendências serem globais e tudo se tornar viral (fica aqui a nota para escrever algo sobre isso do Marketing Viral).

Uma das modas dos tempos de hoje é de facto o Gin (do qual sou apreciador), há muito no mercado, mas acho que este ano as Empresas conseguiram catapultar o Gin para outro nível fazendo as delícias em todos os cantos do mundo. No meu tempo não tínhamos dinheiro para Gin, pois pagar 6€ por um copo com fruta dentro também não era coisa de Homem. O Gin nos dias de hoje tornou-se quase indispensável nos bares, nas discos, e de um momento para o outro temos à nossa disposição 20 tipos de Gin cada um acompanhado com uma fruta diferente. Confesso que sou apreciador de um Bom Hendrics com Pepino, ou um Bom Gin Rosé com frutas silvestres, basicamente uma sangria mas com “mais pinta”.

Outra moda é o Sushi (por acaso também aprecio) mas não troco por uma boa feijoada, ou cozido à portuguesa, mas para variar sou capaz de comer. E eis que os restaurantes de rodízio fecham todos e começam a abrir os de sushi. De facto uma moda de comer de “pauzinhos” muito apreciada pelos demais povos. Agora massificado pelas empresas de restauração que começam a inventar sushi de milhares de formas…

As “selfies” que tanto me fizeram rir nestas férias, ver as pessoas a arriscar o telémovel, arriscar a vida para tirar uma selfie parva, de facto é ver até onde pode ir a idiotice do Ser Humano, mas bom para as empresas de telemóveis e de câmaras fotográficas que cada vez mais apuram os pixeis das maquinetas.

Claro está quando se fala em selfies tem que se falar dos “sticks” e nada como um “stick” para apimentar uma relação a 3. Camara + Stick + “aquela foto” = muita foto parva. Também o stick serve como arma de auto defesa, dado os locais para onde os levam, os locais onde tiram as fotos, convém mesmo ter algo para se defender…

Os programas de culinária de TV, de facto os primeiros do Gordon Ramsey até foram interessantes, depois as editoras como querem ganhar mais e mais e mais, acabam por destruir os programas, pois o Gordon passou a fazer 5 programas de TV, depois veio o Jaimie, depois o da Austrália, depois o Português, depois o da pastelaria, que um tipo engorda só de ver TV.

A estupidez de numa saga dividir sempre o ultimo livro em 2 filmes, fazendo sempre que o primeiro filme do último livro seja muito mau e que o segundo perca o interesse. Não façam isso, pois olhem o que aconteceu ao Divergente que o ultimo filme vai directo para TV e a atriz não quer fazer a parte 2 do filme do ultimo livro. Só de escrever isto de parte 1 e 2 de 1 livro dá tonturas…

Em Angola vivi uma época um pouco complicada da minha vida, não por causa das doenças que apanhei, não por falta de electricidade, de água, de ser assaltado, mas sim por causa da música. O raio do Kizomba até hoje assola os meus maiores pesadelos, e quando regressei a Portugal e pensava que tudo tinha terminado, eis que levo aqui com a mesma música que apanhei em Angola, valha-me os meus Vinis… Também em Angola falava-se muito em SWAG? SWEG? qualquer coisa assim que nunca entendi… Chego a Portugal e levo mais do mesmo, talvez alguma doença que tenha apanhado e curei sem ir ao médico, pois tudo o que era malária, febre tifóide, paludismo, desinterrias, etc… apanhei… esta por acaso não, ao menos poupei 500 Usd na clínica.

Já falei do Marketing da Beleza e junto a este aparecem também novas modas, as pílulas medicinais, os sumos esverdeados, apelidados de detox, os runnings, os walkings, os ciclyngs, os running colors, jogings, tudo que termina em “inGS”. A indústria têxtil agradece pois para se fazer tudo isto é necessário um investimento em roupa “Pipi” nada barata. No meu tempo chamava-se corrida, e fazia-se com ténis, tshirt e calções, agora até para fazer tudo o que acaba em “inGS” é necessário trajar a rigor…

Ai no meu tempo, no meu tempo…

Mas evoluí, o mercado evoluiu, o Marketing mais necessidades criou, as pessoas mais estupidificadas ficam…

E “Prontes” que venham as próximas modas pois cá estaremos para falar delas!

NS

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.