Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Marketing - Música Portuguesa

Fonte: https://widget-meo.nmusic.pt/playlists/469855/600 

Ontem estive a cuscar o blog Narizdecera (sim cusco os vossos blogs para encontrar temas para colocar aqui) e deparei com uma música portuguesa na qual teci o comentário: a música tinha uma melodia bonita e que a letra era fantástica, o único problema era mesmo ser portuguesa. Tivemos uma discussão acesa de cerca de 5 segundos, mais ou menos a troca de 2 frases.

Daí surge o mote de hoje, porque raio não passam tantas músicas portuguesas na rádio, tv, etc? Quando olhamos para as letras das nossas músicas em nada ficam atrás das inglesas, as vozes também não, mas de facto não vende…

É de estranhar sendo a língua portuguesa a 4ª mais falada no mundo, sendo o tipo que ganhou o último the Voice considerado um dos melhores de todos os programas mundiais dentro do género. No final espreme-se todos os programas, todas as músicas e “não sai gotas de sumo”. Onde param os músicos, onde para a música portuguesa, porque não conseguimos singrar aqui e lá fora? Como os ingleses e os cantores de língua espanhola?

O que é música? No sentido amplo é a organização temporal de sons e silêncios (pausas). No sentido restrito, é a arte de coordenar e transmitir efeitos sonoros, harmoniosos e esteticamente válidos, por voz e instrumentos musicais.

Hoje as músicas são usadas como uma ferramenta de formação e consolidação de uma imagem corporativa. Tornando-se imprescindíveis na dedicação em estratégias de marketing em algumas empresas, políticos, marcas, etc…

Mas sempre que vemos anúncios na TV pouco me recordo de ouvir conteúdos musicais portugueses, sempre jingles estrangeiros… Acho que a última vez que me recordo de ouvir música portuguesa foi com a Seleção no Euro, não o Hino a Portuguesa, pois também esse só o ouvimos quando joga a Seleção de Portugal de Futebol (outra coisa estranha, mas adiante…) mas sim a “Minha Casinha” dos Xutos.

Sei que existem cotas obrigatórias de música portuguesa que deveria passar nas rádios mas estas consequentemente “se esquecem” de as cumprir alegando que se passarem (acho que 40%) de música portuguesa a rádio não será rentável… Não querendo somente remeter a culpa para as rádios mas também por culpa nossa, pois não gostamos de ouvir cantar os “nossos cantores” e não exigimos que passem mais nos meios de difusão.

Mas também me estranha os festivais de música que crescem como cogumelos e os cabeças de cartaz serem sempre estrangeiros. Estes festivais gerem em média cerca de 60 milhões de euros, quanto ficará para os artistas portugueses?

Houve um festival só de música portuguesa mas a afluência não é tão esmagadora como um Nós Alive ou um Rock in Rio…

Dizem que é a crise (coitada da crise que leva com todas as culpas) mas o que é certo é que o bilhete mais barato para os Aerosmith custa 84€ e para os Guns and Roses custa 79€, o que é certo é que enchem onde quer que vão (eu sou suspeito pois quero ver ambos os concertos).

Imaginem um Tony Carreira cobrar no Meo Arena 70€ por um bilhete, provavelmente tinha somente ar a ouvir o concerto…

Eu estou aqui a falar e basicamente só oiço música estrangeira, pois fiquei parado na década 80, e os músicos portugueses que oiço também são dessa década, por isso eu sou um dos culpados… Mas não quero ficar com as culpas só para mim, que se passa de facto? O plano de Marketing musical português está mal direcionado, está mal executado?

Podem dizer que a pirataria também não ajuda o preço dos Cds é alto por isso recorremos aos downloads, mas o que é certo é que o ano passado a venda de Vinis ultrapassou a venda de Cds, e um vinil não é propriamente barato, eu que o diga…

Algo de errado aqui se passa pois a nossa música não tem o relevo que deveria ter e tem-se que pensar a música de forma distinta, e lançar a mesma com uma estratégia diferente. O marketing  que tem sido feito até ao momento não está a ajudar a disseminação da nossa música e da nossa língua. Algo precisa de mudar, pois provavelmente existe muita boa música que eu desconheço.

Basicamente um Tony Carreira está numa onda de sonoridade e letra equiparado a um digamos Bryan Adams, agora pegamos nas letras do Tony e colocamos em inglês cantadas pelo Bryan, será que não venderia mais? E se for ao contrário o Summer of 69 cantado pelo Tony em versão português venderia?

Vai muita coisa errada na difusão da música portuguesa, devido a tipos como eu, mas não somos a raiz de todo este mal.

Mas com a chegada das redes sociais, esta disseminação tem ajudado em muito os artistas portugueses a ganhar “nome” lá fora e tentar elevar a música portuguesa para outro nível, quiçá a restante sétima arte portuguesa.

Mas como tudo em “POOR”tugal “o que é bom é de lá de fora”, ou melhor se queremos ser bons temos que ir lá para fora.

Thats It, Finish, The End!!!!!

NS

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.