Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Marketing - Político “Vila do Conde”

Caso não sabem, estou a fazer a minha tese de Doutoramento que tem como base a Política e as Redes Sociais. Até aqui tudo bem, ai e tal até é um tema interessante, nos dias que correm mais que actual, com o Trump (a) no twitter ainda ganha mais força...

MAS sim tudo tem um MAS… com o handicap de... Por um lado eu não entender puto de Política, por outro  a minha Orientadora não entender puto de Redes Sociais, eis que está dado o pontapé de saída para a coisa correr bem...

É sabido, ou não, ou sei lá... Provavelmente vou escrever disparate, mas nada que não estejam habituados…, ora bem... As pessoas que vão às urnas (são poucas, daí eu defender o voto ser obrigatório como se passa em outros países) e ao fazer a cruzinha têm em consideração um dos factores abaixo:

1 - Partido Político

2 - “A Cara” do Partido Político

3 - Status

4 - Propostas dos candidatos

O maior bolo destes 4 factores decerto vão para os dois primeiros pontos, sendo que 90% das pessoas votam ou pela “Cara” ou porque são daquele partido “desde pequeninos”... eu enquadro- me na posição 4, ou seja, voto por aquilo que o partido fez, faz e ou irá fazer. Isto é o  que me trás aqui hoje. O que vão fazer na Minha Terra? Boa Pergunta, para a qual ainda não descobri grandes respostas... Mas vamos por partes.

Não esperem que aqui irei Desdenhar por Desdenhar... Maldizer por Maldizer... Falar mal, porque sim... Estão errados, pois gosto de escrever sobre factos e apontar lacunas pois é a única forma de crescermos e fazer crescer a Nossa Terra. Escrevo isto pois leva-me ao meu primeiro ponto.

1 - A Câmara INVESTIU 350 Mil Euros nas festas de São João. Ao ler isto apareceram logo as pessoas do desdém... que começam a escrever absurdos (a meu ver), pois se por um lado não se INVESTE é porque NÃO, se SIM é porque SIM... Depois de ler tamanha trampa (não o dos USA) fiz uma simples pergunta, qual o ROI deste investimento para tanto mal dizer? Coisa que não obtive resposta... Mas “bora” lá fazer um cenário. Sim os economistas muito gostam de fazer cenários, normalmente não à Passos Coelho (pois com ele os cenários são: o catastrófico; o péssimo e o ruim e actualmente o “suicida”) digamos que a minha base economista é mais neutra / positivista... Bem se trazemos cá a Vila do Conde “Carminho, Rui Veloso, Agir, Diogo Piçarra, Azeitonas, Emanuel, entre outros” acredito que iremos assistir a uma romaria das cidades limítrofes a Vila do Conde que irão consumir umas águas, umas cervejas, uns jantares, carrosséis, etc... Se em cada grupo que irá actuar, vierem a Vila do Conde 10.000 pessoas, sendo que cada uma destas gaste em média 5€ (acredito que seja mais, pois eu bem sei quanto gasto nas trés semanas antes do São João) isto dá uma média de 50.000€ por grupo, se multiplicarmos por 6 grupos dá 300.000€, se adicionarmos mais uns 50.000€ aos “entre outros” temos o investimento pago (e não falo do valor de aluguer que pagam os tipos dos carrosseis).

2 - Se me perguntarem se devemos INVESTIR nas luzes e nas festas de NATAL como tem sido feito, e não como no passado em que tivemos a cidade às escuras, CLARO que assino por baixo e direi que SIM. Até me doía ver o Mosteiro / Convento às escuras (provavelmente era para esconder o estado de degradação do mesmo... tinha que mandar esta alfinetada, mas adiante)...

3 - Acho que deveria-se recuperar o Carnaval que tantas alegrias me deram quando era pequeno e adolescente e de um momento para o outro nos foi retirado, lembro-me de Vila do Conde completamente cheia, todas as ruas com alegria e cheias de vivacidade...

4 - Ainda estou para ver alguém criticar a festa dos tapetes de flores (mas se não vi até agora não irei ver mais… acho eu), ou porque se “matou flores” ou porque o dinheiro das flores deveria ir para isto e ou para aquilo (Lembro que recebemos o Presidente da República) logo tivemos o foco dos média em Vila do Conde...

Com isto quero dizer o quê nos últimos 4 pontos, é que para além do ROI ser positivo não consigo quantificar a outra parte mais qualitativa do mesmo, a imagem que passa lá para fora a nossa Cidade, a Marca Vila do Conde, o denominado City Marketing (acredito que isto nem exista na nossa cidade, uma ideia para os candidatos terem em mente para desenvolvimento...) há também a que ter em conta.

5 - Muito se fala em um Museu do Mar, neste ou naquele local... Eu perguntei uma vez mais, quem pagará a manutenção do mesmo, ou seja, a quem se destina o museu do mar, quem são os clientes “pagantes de bilhete”? Uma vez mais estou a ver a economicidade das coisas, mas Ei, digam-me se conseguem viver de ar e vento e dêem-me a fórmula que eu assino por baixo. Além do custo do terreno, do custo da construção, temos o custo das pessoas, o custo de manutenção e os custos fixos de qualquer estrutura (água, luz, electricidade, etc...) E dizem-me ai e tal e coisa estás a ver somente a parte dos números e não a componente sócio-cultural, o qual respondo desde já e remeto para o ponto 1. Afinal não andam todos preocupados com os gastos da Câmara?

6 - Procuro uma agenda política de um qualquer partido / independente à Câmara de Vila do Conde e vejo-me numa “caça aos gambuzinos” pois de facto não existe, ou melhor, o que existe a meu ver ainda é muito pouco, para 4 anos de governação!. As eleições estão ao virar da esquina, daqui até lá, temos as férias de verão... Não era suposto antes de elaborar qualquer candidatura ter um plano já de acções a serem feitas a médio e longo prazo ( 4 anos) ???

7 - Vejo preocupações com uma obra em frente à marina, que engloba supostamente um campo de futebol e uns pavilhões para os pescadores, um custo de cerca de 8 milhões de euros sendo que 80% são a fundo perdido e os restantes 20% (1.6milhões de euros) a serem financiados pelos armadores... Hummm!!! Lá estou eu, já sei a pensar em números... Ora se por um lado a maior parte dos armadores têm os seus próprios armazéns, sem pagar qualquer tipo de renda, será que eles estarão dispostos a desembolsar um qualquer tipo de verba? Ora bem 1.6 milhões a dividir por 200 embarcações = 8000€??? Não me acredito muito... Aliás existem barcos que não ganham isto num ano, por isso como vão pagar?

Em vez de discutir uma outra obra megalómana não deveríamos estar a discutir o futuro das pescas? Ou melhor a extinção das mesmas, dado o rumo que as coisas estão a tomar? Vieram os Ucranianos para as pescas e foi o desastre que foi. Agora querem trazer “Indonésios”, além da logística disto (não) acontecer estamos a falar em trazer alguém de fora, logo terão que ser dadas as condições de acolhimento, contrato de trabalho, direitos, etc... Como sabemos um pescador trabalha, muitas das vezes 20 horas seguidas sem descanso, muitas vezes dormem 2 a 4 horas por dia, durante 5 dias seguidos de faina, será que os “indonésios” aceitarão trabalhar nestas condições?

Este é um problema IMEDIATO que tem que ser resolvido, pois existem muitos barcos encostados ao cais por falta de “campanha” muitas vezes o meu Pai fica em terra pois não tem camaradas para ir para o Mar... Aqui encontramos a resposta para aqueles que querem um museu do mar, terão um no cais da Póvoa “Vivo” se isto continuar assim, pois os barcos ficarão encostados ao cais mesmo.

8 - Um Gimnodesportivo nas Caxinas, outra obra baratinha... A sério? Para que precisamos disto? Para quem? Não existem outras prioridades mais imediatas e mais necessárias em vez disto? Não era mais fácil renovar o que temos, pois acho que precisa de umas renovações. Caso não tenham percebido as prioridades aconselho a ver pontos anteriores e os posteriores...

9 - Ora bem... Vila do Conde tem trés Grandes Vantagens Competitivas, O Rio, o Mar e as “Suas Gentes”! Não está na altura de fazer um plano de marketing de turismo náutico? Temos o “Nelo” que tem imensas actividades náuticas no Rio Ave, além do investimento brutal que está a fazer em novas instalações. Temos uma costa marítima enorme que poderia ser potencializada. Temos escolas de Surf, Padle, Bodyboard, etc...Porque também não estender a este plano, um marketing religioso (lembro-me das lindas igrejas que temos) bem como um marketing turístico (ver citânia de Bagunte; Castro de S. Paio; Arcos; Mosteiro de Santa Clara e afins).

Temos isto tudo, FALTA-NOS CLIENTES! Temos o Porto aqui ao lado, um dos principais destino europeus no momento, temos vias de acesso ao Porto privilegiadas (metro e auto estrada), o que nos falta? Simples, fazer com que as pessoas sabem onde fica o “ponto” de Vila do Conde no mapa.

10 - Existe quem pague uma pipa de massa para vindimar, existe quem pague uma pipa de massa para pescar. Já pensaram em pegar nos barcos de pesca e proporcionar a visitantes um dia de pesca, num barco de pesca com pessoas da Pesca, sim falo dos NOSSOS Pescadores? Provavelmente poderemos aqui encontrar uma nova área de negócios para os pescadores quando não têm homens para ir ao mar e ou para as épocas de defeso. Aqui pode-se minimizar um pouco os problemas dos mesmos...

11 - Uma cidade também “se faz” através da criação de valor e de riqueza, uma outra grande vantagem que temos, é a mão de obra qualificada e uma excelente posição geo-estratégica, mas só isto não chega, pois é necessário atrair investimento estrangeiro para cá. Como é necessário “exportar o nosso investimento”... Exportar o quê? Fácil empresas com capacidade de internacionalização. Ocorre-me 2 exemplos flagrantes, Ach Brito e a Imperial. Dois exemplos de fábricas com um enorme poder de exportação, mas que não conseguem potencializar o mesmo... isto leva-me a perguntar porque é que temos uma Associação Empresarial? Quando eu próprio me dirijo a mesma e pergunto por internacionalização; por Portugal 2020; FSE, etc... E não existe uma única alma que me consegue dar uma resposta, ou seja, têm no site uma serie de serviços que não sabem, ou não querem, ou dá muito trabalho fazer...

12 – Temos uma “Universidade”, que todos os anos “debita” estudantes e conhecimento para o mercado, e o que fazemos com estes? Fácil, exportamos. Não seria de todo útil pegar nestas pessoas e fixá-las a Vila do Conde? Fazer com que este conhecimento seja empregue na NOSSA Terra? Para todos que querem um museu do Mar, um Gimnodesportivo, aqui têm uma solução, criem juntamente junto destes, uma Incubadora de Empresas que tanto sucesso tem em outras cidades pois assim temos alguns dos problemas de custos acima descritos resolvidos.

13 - Muito me poderia alongar aqui, com o Outlet "Nassica" (caso de sucesso); Curtas Metragens, Feira de Artesanado, Feira Agricola, Feira da Gastronomia, an so on...

Este testamento para dizer o quê? Basicamente que não me irei safar na minha tese de doutoramento e com estas propostas lá irei às urnas votar em branco. Mas ao menos irei às urnas e não irei escarnas quem ganhar as eleições como muitos fazem, mas que quando são chamados à responsabilidade de votar, ficam no sofá e isto sim é o que me revolta, pois estes que não agem, não votam (mesmo em branco) são os primeiros a vir escarnar para as redes sociais.

No diálogo na troca de ideias é que se cresce, e acredito que todos sairíamos a ganhar se ideias fossem ouvidas, debatidas por TODOS e não só porque ganhei, Posso, Quero e Mando!

P.S. Isto foi escrito contra a vontade da M.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.