Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Mishmash Marketing

Basicamente é "uma mixórdia de temáticas" de Marketing!

Marketing - A questão dos Fundos ir ao "fundo"... 20.000,00€ para Comprar um Barco!

 Fonte: https://c1.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/ba401ecd7/6417524_zmf5L.jpeg

Existem 3 tipos de fundos comunitários:

1 - Aqueles que são bem utilizados nas empresas / associações pois são usados para qualificar, inovar e internacionalizar;

2 - Aqueles que servem para enriquecer certas empresas, mais concretamente as de "consultadoria" pois um projecto que numa empresa do ponto 1, numa empresa deste ponto tem sempre um custo X x 1000%;

3 - Aqueles projectos parvos como o abaixo descrito

Temos um fundo de 20.000,00€ (maior parte comunitário) para a compra de uma embarcação para queira ser armador, ora bem...

Por um lado não explica que tipo de embarcação tem que ser comprada nem para pescar o quê, logo os 20 mil devem dar para comprar uns troncos de madeira, fazer uma jangada e comprar uma cana de pesca (não profissional nem de carbono, senão o dinheiro não dá) e ir para um lado "pescar"... Se for nesta óptica de "armador de jangada" o apoio pode ser suficiente...

O parágrafo anterior foi para brincar com o ridículo que este apoio é na sua forma e conteúdo mesmo desconhecido...

Ora bem mesmo que alguém compre uma "caíca"; termo usado nas Caxinas para os pequenos barquinhos em madeira que vemos em muitas praias, só aqui deveremos gastar 25% do fundo. Se na mesma "caíca" se comprar um motor, lá se vai mais uns 25% do fundo. Os restantes 50% seriam, acho eu para comprar o aparelho de pesca (cobos, redes, gamelas, anzois, fio, etc...). Que deverá dar:

- uns 50 Cobos

- Uma gamela com uns 25 Anzóis

- Um aparelho

- Pouco material diverso para substituir o que irá se estragar

Comprando tudo isto, seremos "armadores". Sabendo que o máximo que provavelmente poderemos pescar serão uns bons 50 peixes...

Exmo. Jerónimo Rato eu não fico surpreendido por quase ninguém se ter candidatado a este fundo; eu não fico surpreendido ver o "dinheiro deitado ao mar" destes fundos. E "só é maluco quem se mete NISSO", ou seja, nesse apoio! 

Fico surpreendido em falar em renovar a frota pesqueira (com 20 mil euros????), Hummm, não me parece.

Fico é surpreendido por 2 pessoas terem-se candidatado ao mesmo, Pessoas essas que eu gostaria de conhecer!

A História Interminável dos Fundos Comunitários em Portugal, e a verdadeira TRAGÉDIA das oportunidades perdidas, resume-se à ideia simples de “ter ideias para ir buscar fundos”, em vez de “financiar com fundos as boas ideias”, as tais que demonstraram que têm potencial agregador, para criar valor e emprego.

Agora é a “diáspora” e encontros que se multiplicam pelo país… enfim… empresários da TRETA e políticos da TRETA que só sabem viver de fundos comunitários e de subsídios.

 

Marketing - Plano Nacional Leitura (PNL)

 

Antes de mais gostaria de agradecer a todos aqueles que desejaram que as minhas secreções nasais desaparecessem rapidamente para que eu pudesse regressar às teclas, aqui estou… E aqui estou chateado com o facto do Livro de Valter Hugo Mãe deixa de ser para alunos do 3.º ciclo devido a conteúdo sexual.

Eu pensei que o caminho e o futuro se fazia olhando em frente, “cavando” em frente, com mudanças, com inovação, tudo aquilo que o Marketing apregoa a uma Organização às pessoas, mas eis que Portugal no seu melhor, olha em frente, mas andando para trás… voltando à mentalidade retrógrada de há 100 anos atrás, querendo tapar o “sol com a peneira” e mais um número de frases feitas e populares que aqui se enquadram…

Aqui nem sei quem culpar, se “os denominados peritos da comissão” se os “pais que se chocam com o livro” ou o “ministério da educação”… Ok, culpo esta gente toda…

Os pais estão em choque com o livro em questão do Autor denominado “O Nosso Reino” pois contém linguagem de carácter sexual, se este livro é direccionado para alunos do 3º ciclo, estamos a falar em aluno com idades a partir dos 12 / 13 anos. Tudo bem que contém uma linguagem “forte” mas estamos a falar de uma escola que “obrigatoriamente” tem um programa curricular onde consta a disciplina “educação sexual” para preparar a juventude para o que lhes pode acontecer, mas o que não acontece de certeza na escola é mesmo a “educação sexual” pois para mim esta não é estudar o sistema reprodutivo (sim é isto que ensinam na escola) mas sim dotar as crianças para o que é o sexo, e o que deve ser ou não aceite por elas, provavelmente muitos casos de violações não aconteceriam ou poderiam ser evitados se tal fosse enviado a quem de direito e por quem de direito.

Parece que o livro utiliza palavras como “foder”, “pila no cú” “puta” entre outras ordinarices que este sacana deste Autor saiu de um Prémio Saramago, para um prémio de filme porno. Por acaso esta comissão ou estes pais acham que os filhos deles nestas idades já não conhecem estas histórias todas? Já não usam e abusam de todo este tipo de linguagem? Quer-me parecer que sim, mas na remonta das hipóteses de desconhecerem não seria melhor passarem a conhecer? Será que têm medo que os seus meninos e ou meninas apanham essa doença que se pega na leitura denominada homossesualismo?

Eu tenho acesso ao PNL e tem lá uma listagem infindável de livros propostos, lhe por um lado ainda estamos num país livre, compra e lê quem quer… por outro lado parece que temos que proteger os meninos e meninas que são tão anjinhos e não podem saber tais palavras e conceitos, pois os pais não as usam, nem os colegas, nem a comunidade, pois ela é perfeita e não usa isso de “puta”, de “pila”, de “”…

Parece que nos esquecemos de nomes como o Bocage, o que vamos fazer em relação a este? Também o vetar? Deixar de dar parte da nossa história? Parte dos nossos autores? Pois Bocage de facto escreve de forma calma, serena e sem promiscuidades…

Lembro-me também de uma parte de Os Lusíadas, sim essa epopeia… Onde fala da ilha dos Amores, que fazemos? Pegamos nessa parte e arrancamos dos livros, pois os meninos não sabem, nem podem saber do “coiso” dessas ordinarices?

Não sei se isto de estar referenciado no PNL é por divina obra do Espírito Santo, se é devido aos Iluminados “Peritos da Comissão” ou simplesmente por quem paga, quem dá patrocínios tem direito a lá estar. Este autor começou a ganhar muita boa fama, muitos prémios por ser um péssimo escritor, por ser um guionista de “filmes porno” por defender e escrever tão bem a nossa língua portuguesa, mas isso não chega e teve que ser retirado.

No fim de ler esta notícia, chego à parte dos comentários, ou melhor, pseudo comentários, mães afrontadas pelos seus meninos e meninas terem que falar tais palavras, e eu pergunto-me que raio é que estes pais sabem sobre os filhos e sobre a sociedade onde vivemos, onde estes mesmos que ficam escandalizados com umas meras palavras… Estes mesmos pais que façam uma pesquisa no histórico de internet dos meninos e das meninas pois provavelmente encontrarão lá palavras muito mais sugestivas que estas.

A minha pequenada, entenda-se dos 4 aos 7 anos já lhes li o livro: “O Paraíso São os Outros” deste mesmo asqueroso Escritor, o que desde já aconselho aos pais que se sentem insultados com palavras tão más e sugestivas a não comprar este livro, pois fala da vida de casais entre os quais, “Um pinguim com Um Pinguim” poderão achar que com este livro os vossos pequenos enveredem pela Homossexualidade…

Lembro-me que li livros de autores:

- Continha incesto; Os Maias

- Padres com "amigas"; Crime do Padre Amaro

- Linguagem "obscena"; Bocage e o Alto da Barca do Inferno

- Entre outros

Paizinhos, toca a fazer um abaixo assinado contra estes livros também, assim passam os meninos e as meninas a ler livros "na onda" da Rapunzel, Branca de Neve... ou livros na onda dos filmes Indianos, onde nem um beijo se vê, e os filhos aparecem por "ordem do espírito santo"...

Uma vez mais digo e afirmo que o livro em questão tem uma linguagem muito pesada sim, ordinarices sim, mas uma coisa é certa se o meu G. com 7 anos já me diz certas palavras daquelas aos 13 saberá utilizá-las todas de uma pior forma. Ao menos já que vão saber e vão, que sejam ensinados por um especialista, por uma professora, por uma psicologa de educação sexual que tem o jeito e a maneira de transmitir que outros não têm. Assim a pequenada fica com a mente mais aberta e mais preparada...

O País com menos problemas de droga no mundo é a Holanda, pois fumar drogas leves é uma coisa normal e legal, logo as pessoas tendem a ver aquilo como uma trivialidade e a não usar. Será que ao tornarmos os tabus ordem do dia, falarmos deles, não os tornaremos triviais também?

Por fim acho estranho o mesmo livro constar tanto tempo no PNL e só agora porque um pai estava revoltado e "chivou" o sistema, este assunto veio "à baila". Será que os auto denominados "peritos da comissão" lêm os livros que vai para o quadro do PNL? Será que colocam por este ou aquele autor "estar na berra"? Como é feita esta escolha?

O nosso sistema nacional de educação está completamente desfasado da realidade e com pais, peritos de comissões que sucumbem a tabus que não são tabus, estamos condenados a ficar estupidificados com decisões deste calibre, e continuar a não evoluir como povo. Não é de estranhar que estamos 30 anos atrasados em relação a um país como a Holanda por exemplo e parece-me que estamos a cavar um fosso cada vez maior, entre mentes abertas (as dos outros) e os retrógrados (nós).

Temos cabeça redondo e pensamos de forma tão quadrada...

Meu caro Valter Hugo Mãe, você em vez de utilizar “pila”, “cu”, “puta” e indicar o caminho da sexualidade ás criancinhas que nada sabem e nada fazem deveria antes aprender o termo LOBBY ou o ensinar à sua editora, pois provavelmente em vez de ser retirado do PNL, saltaria para as primeiras linhas do mesmo.

P.S. Será que o Trump já fez ingerência no nosso Estado de Direito e começou já por atacar o PNL?

P.S.1 - Afinal ontem após escrever esta treta toda, eis que hoje vou ler as notícias e afinal: Livro de Valter Hugo Mãe fica no Plano Nacional de Leitura apenas para o secundário... Como é amigo sapo? Isto do vai não vai, fica não fica, já me faz lembrar algumas passagens do livro em questão...